A Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM) é um sistema utilizado para classificar e identificar produtos que são comercializados entre os países membros do Mercado Comum do Sul (Mercosul), que são Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Venezuela. A NCM foi criada com o objetivo de facilitar o comércio entre os países do bloco, promovendo a harmonização e a simplificação das tarifas aduaneiras.

A NCM é baseada no Sistema Harmonizado de Designação e Codificação de Mercadorias (SH), que é uma nomenclatura internacional adotada pela Organização Mundial das Aduanas (OMA). A NCM possui uma estrutura hierárquica de oito dígitos, onde cada dígito representa uma categoria específica de produtos. Os dois primeiros dígitos representam a categoria geral do produto, enquanto os outros seis dígitos fornecem uma classificação mais detalhada.

A NCM é amplamente utilizada no comércio internacional, pois permite que os governos e empresas identifiquem e classifiquem corretamente os produtos. Isso é essencial para a aplicação de tarifas aduaneiras, controle de importação e exportação, estatísticas comerciais e políticas de comércio exterior. A NCM também é fundamental para a harmonização das legislações e regulamentações dos países do Mercosul, tornando o comércio mais eficiente e ágil.

DEFINIÇÃO E APLICAÇÃO DA NCM NO SETOR ELÉTRICO

No setor elétrico, a NCM é utilizada para classificar e identificar os produtos e equipamentos elétricos que são comercializados entre os países do Mercosul. Isso inclui produtos como geradores, transformadores, painéis de controle, cabos, dispositivos de proteção, entre outros. A NCM é uma ferramenta importante para garantir a correta identificação dos produtos elétricos, facilitando o comércio e promovendo a segurança e qualidade desses produtos.

A aplicação da NCM no setor elétrico é fundamental para garantir a segurança e qualidade dos equipamentos elétricos utilizados no Mercosul. A NCM permite que os produtos sejam classificados de acordo com suas características técnicas e funcionalidades, facilitando a identificação de produtos similares e possibilitando a aplicação de normas e regulamentações específicas para cada categoria de produto. Além disso, a NCM também auxilia na identificação de produtos que não atendem aos requisitos técnicos e de segurança, contribuindo para a proteção dos consumidores e para a prevenção de acidentes elétricos.

ESTRUTURA E CARACTERÍSTICAS DA NOMENCLATURA COMUM DO MERCOSUL

A NCM possui uma estrutura hierárquica de oito dígitos, onde cada dígito representa uma categoria específica de produtos. Os dois primeiros dígitos representam a categoria geral do produto, enquanto os outros seis dígitos fornecem uma classificação mais detalhada. A estrutura da NCM é a seguinte:

  1. Capítulo: representa a categoria geral do produto, como "Máquinas e aparelhos mecânicos" ou "Produtos químicos".
  2. Posição: fornece uma classificação mais específica dentro do capítulo, como "Máquinas e aparelhos para agricultura" ou "Produtos farmacêuticos".
  3. Subposição: oferece uma classificação ainda mais detalhada, como "Máquinas e aparelhos para colheita" ou "Medicamentos para uso humano".
  4. Item: representa uma classificação ainda mais específica dentro da subposição, como "Máquinas e aparelhos para colheita de cereais" ou "Medicamentos para tratamento de doenças cardiovasculares".
  5. Subitem: fornece uma classificação ainda mais detalhada, como "Máquinas e aparelhos para colheita de milho" ou "Medicamentos para tratamento de pressão arterial alta".
  6. Subsubitem: representa uma classificação ainda mais específica dentro do subitem, como "Máquinas e aparelhos para colheita mecanizada de milho" ou "Medicamentos para tratamento de pressão arterial alta com efeito diurético".
  7. Ítem de subdivisão: oferece uma classificação ainda mais detalhada, quando necessário.
  8. Subitem de subdivisão: representa a classificação mais específica possível dentro da nomenclatura.

A NCM também possui características importantes, como a possibilidade de adicionar códigos de exceção para produtos específicos e a utilização de notas explicativas para esclarecer detalhes e especificidades de determinadas classificações.

CLASSIFICAÇÃO DA ENERGIA ELÉTRICA PELA NCM

A energia elétrica é classificada pela NCM pelo código 2716.00.00 que contempla os combustíveis minerais, óleos minerais e produtos da sua destilação; matérias betuminosas; ceras minerais e a energia elétrica.

Além disso, a NCM possui classificações específicas para os equipamentos e dispositivos utilizados na geração, transmissão e distribuição de energia elétrica. Esses equipamentos são classificados de acordo com suas características técnicas e funcionalidades, permitindo uma identificação precisa e facilitando o comércio desses produtos entre os países do Mercosul.

Alguns exemplos de equipamentos elétricos classificados pela NCM são:

  1. Geradores elétricos: são classificados de acordo com sua potência, tipo de combustível utilizado e finalidade de uso.
  2. Transformadores elétricos: são classificados de acordo com sua potência, tipo de isolamento utilizado e finalidade de uso.
  3. Cabos elétricos: são classificados de acordo com sua capacidade de corrente, tipo de isolamento utilizado e finalidade de uso.
  4. Dispositivos de proteção elétrica: são classificados de acordo com sua capacidade de corrente, tipo de proteção oferecida e finalidade de uso.

A classificação precisa desses equipamentos pela NCM é fundamental para o comércio internacional no setor elétrico, pois permite que os produtos sejam identificados corretamente, facilitando a negociação, o transporte e a instalação desses equipamentos. Além disso, a classificação pela NCM também contribui para a padronização e harmonização das normas técnicas e regulamentações relacionadas aos equipamentos elétricos no Mercosul.

PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL DE PRODUTOS NO SETOR ENERGÉTICO

A padronização internacional de produtos no setor energético é fundamental para garantir a qualidade, segurança e interoperabilidade dos equipamentos e dispositivos utilizados na geração, transmissão e distribuição de energia elétrica. A NCM é uma ferramenta importante nesse processo, pois permite a classificação e identificação precisa dos produtos elétricos, facilitando o comércio internacional e promovendo a harmonização das normas e regulamentações técnicas.

A padronização internacional de produtos no setor energético também é promovida por organizações internacionais, como a Comissão Eletrotécnica Internacional (IEC) e a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Essas organizações desenvolvem normas técnicas que estabelecem requisitos e diretrizes para os equipamentos e dispositivos elétricos, garantindo sua qualidade, segurança e desempenho. A conformidade com essas normas é um requisito essencial para a certificação e comercialização dos produtos elétricos no mercado internacional.

A padronização internacional de produtos no setor energético traz várias vantagens, como a redução de barreiras técnicas e comerciais, a melhoria da qualidade e segurança dos produtos, a facilitação do comércio internacional e a promoção da inovação e desenvolvimento tecnológico. Além disso, a padronização também contribui para a sustentabilidade e eficiência energética, promovendo a utilização de equipamentos e dispositivos mais eficientes e ambientalmente amigáveis.

*Referências:**

Usamos cookies para melhorar a sua experiência e segurança em nosso website. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade.