Um Sistema de Gestão de Energia (SGE) é uma estrutura organizacional que permite a uma organização gerir e melhorar continuamente o seu desempenho energético, otimizando o uso e consumo de energia elétrica em suas operações. Trata-se de um conjunto de processos, políticas, procedimentos e práticas que visam identificar, monitorar, controlar e reduzir o consumo de energia, bem como minimizar os custos e impactos ambientais associados a esse consumo.

Em um contexto mais amplo, o SGE faz parte da área de gestão de energia, que engloba todas as atividades relacionadas ao gerenciamento eficiente e sustentável dos recursos energéticos de uma organização. Isso inclui desde a avaliação do consumo atual de energia até a implementação de medidas de economia, passando pelo monitoramento do desempenho energético e a definição de metas de redução de consumo.

O sistema é aplicável a qualquer tipo de organização, independentemente do seu setor de atividade ou tamanho, desde indústrias e empresas comerciais até instituições governamentais e organizações sem fins lucrativos. Através do SGE, a organização pode identificar oportunidades de economia de energia, reduzir os custos operacionais, aumentar a competitividade e contribuir para a sustentabilidade do planeta.

DEFINIÇÃO E OBJETIVOS DO SGE

A definição de um Sistema de Gestão de Energia está relacionada à ISO 50001, uma norma internacional que estabelece os requisitos para a implementação e certificação de um SGE. De acordo com a ISO 50001, um SGE é um conjunto de elementos inter-relacionados que permite à organização estabelecer uma política energética, estabelecer objetivos energéticos, implementar ações para atingir esses objetivos e avaliar o desempenho energético.

Os objetivos do SGE são proporcionar à organização uma estrutura para uma abordagem sistemática da gestão da energia, com foco na melhoria contínua do desempenho energético. Isso significa que a organização deve estabelecer metas de redução do consumo de energia, implementar medidas para alcançar essas metas, monitorar e medir o desempenho energético, analisar os resultados e implementar ações corretivas quando necessário.

Além disso, o SGE também busca promover a conscientização e o engajamento dos colaboradores, garantir o cumprimento da legislação e regulamentação relacionadas à energia e promover a eficiência energética em todas as áreas da organização.

SGE E A NORMA NBR-ISO 50001

A norma NBR-ISO 50001 é a versão brasileira da ISO 50001 e estabelece os requisitos para a implementação de um SGE no Brasil. Ela foi desenvolvida pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e é reconhecida como uma ferramenta para a gestão de energia eficiente e sustentável.

A NBR-ISO 50001 define os requisitos mínimos para a implementação de um SGE, incluindo a definição de uma política energética, o estabelecimento de metas e objetivos energéticos, a identificação de oportunidades de melhoria e a implementação de ações para atingir essas metas. Além disso, a norma também define os critérios para a medição, monitoramento, análise e avaliação do desempenho energético, bem como para a revisão e melhoria contínua do SGE.

A implementação da NBR-ISO 50001 e a certificação do SGE podem trazer diversos benefícios para a organização, como a redução dos custos operacionais, o aumento da eficiência energética, a melhoria da imagem perante os clientes e a sociedade, o cumprimento das obrigações legais relacionadas à energia e a contribuição para a preservação do meio ambiente.

COMPONENTES DO SGE

Um Sistema de Gestão de Energia é composto por diversos elementos inter-relacionados que contribuem para a gestão eficiente e sustentável da energia. Alguns dos principais componentes do SGE são:

  1. Política energética: documento que estabelece as intenções e diretrizes da organização em relação à gestão de energia, incluindo o comprometimento da alta direção, a definição de metas e objetivos energéticos e o compromisso com a melhoria contínua do desempenho energético.

  2. Planejamento energético: processo de identificação e avaliação dos aspectos energéticos da organização, incluindo o consumo de energia, os custos associados, as oportunidades de economia e as fontes de energia utilizadas. Com base nesse planejamento, são estabelecidas metas de redução do consumo de energia e são definidas as ações necessárias para alcançar essas metas.

  3. Implementação e operação: fase em que são implementadas as ações definidas no planejamento energético, incluindo a educação e treinamento dos colaboradores, a definição de responsabilidades e a disponibilização dos recursos necessários. Nessa fase, também são estabelecidos indicadores de desempenho e são realizadas auditorias internas para avaliar a conformidade do SGE com os requisitos da norma NBR-ISO 50001.

  4. Verificação e ação corretiva: etapa em que são realizadas auditorias internas e externas para avaliar o desempenho energético da organização e a conformidade do SGE com os requisitos da norma. Com base nos resultados dessas auditorias, são identificadas oportunidades de melhoria e são implementadas ações corretivas para corrigir eventuais não conformidades.

  5. Análise crítica e melhoria contínua: fase em que são realizadas análises críticas periódicas do desempenho energético da organização, com base em indicadores de desempenho estabelecidos. Com base nessa análise, são identificadas oportunidades de melhoria e são implementadas ações para aumentar a eficiência energética e reduzir o consumo de energia.

VANTAGENS E BENEFÍCIOS DO SGE

A implementação de um Sistema de Gestão de Energia traz diversas vantagens e benefícios para uma organização. Alguns dos principais benefícios do SGE são:

  1. Redução dos custos operacionais: a implementação de um SGE permite identificar oportunidades de economia de energia e implementar medidas para reduzir o consumo, resultando em uma redução dos custos operacionais da organização.

  2. Aumento da eficiência energética: o SGE promove a conscientização e o engajamento dos colaboradores em relação ao uso eficiente da energia, o que leva a uma maior eficiência energética nas operações da organização.

  3. Melhoria da imagem e reputação: a implementação de um SGE demonstra o compromisso da organização com a sustentabilidade e a responsabilidade social, o que pode melhorar sua imagem e reputação perante os clientes e a sociedade.

  4. Cumprimento da legislação: através do SGE, a organização pode garantir o cumprimento das obrigações legais relacionadas à energia e evitar penalidades e multas por não conformidade.

  5. Contribuição para a preservação do meio ambiente: a redução do consumo de energia e a promoção da eficiência energética através do SGE contribuem para a redução das emissões de gases de efeito estufa e para a preservação do meio ambiente.

A implementação de um SGE requer um planejamento cuidadoso e a definição de uma estratégia adequada. Para auxiliar as organizações nesse processo, existem consultorias especializadas que podem fornecer suporte técnico e conhecimentos específicos na área de gestão de energia. Além disso, é possível obter certificação do SGE de acordo com a norma NBR-ISO 50001, o que pode agregar valor à organização e demonstrar seu comprometimento com a gestão eficiente e sustentável da energia.

IMPLANTAÇÃO DO SGE

A implantação de um Sistema de Gestão de Energia envolve várias etapas e requer o envolvimento de todas as áreas e níveis hierárquicos da organização. Algumas das principais etapas do processo de implantação do SGE são:

  1. Comprometimento da alta direção: o apoio e comprometimento da alta direção são fundamentais para o sucesso da implantação do SGE. É importante que a alta direção esteja envolvida desde o início e seja responsável por estabelecer uma política energética e metas claras de redução do consumo de energia.

  2. Levantamento e análise dos dados energéticos: é necessário fazer um levantamento detalhado do consumo de energia da organização, identificando os principais consumidores, as fontes de energia utilizadas e os custos associados. Com base nessa análise, é possível identificar oportunidades de economia e definir metas de redução do consumo.

  3. Definição de responsabilidades e recursos: é importante definir claramente as responsabilidades de cada área e colaborador em relação à gestão de energia, bem como disponibilizar os recursos necessários para a implementação e manutenção do SGE.

  4. Implementação de medidas de economia: com base nos dados energéticos levantados e nas metas estabelecidas, deve-se implementar medidas para economizar energia, como a substituição de equipamentos por modelos mais eficientes, a instalação de sistemas de monitoramento e controle do consumo de energia e a conscientização e treinamento dos colaboradores.

  5. Monitoramento e avaliação do desempenho: é fundamental monitorar e medir regularmente o desempenho energético da organização, através de indicadores de desempenho estabelecidos. Com base nessa avaliação, podem ser identificadas oportunidades de melhoria e implementadas ações corretivas quando necessário.

A implantação de um SGE pode ser um processo complexo e demorado, mas os benefícios a longo prazo são significativos. Com um SGE eficiente, a organização pode reduzir seus custos operacionais, aumentar sua eficiência energética, melhorar sua imagem perante os clientes e a sociedade e contribuir para a preservação do meio ambiente.

MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DO SGE

O monitoramento e a avaliação do Sistema de Gestão de Energia (SGE) são etapas fundamentais para garantir a eficácia e a melhoria contínua do sistema. Essas etapas permitem avaliar o desempenho energético da organização, identificar oportunidades de melhoria e implementar ações corretivas quando necessário.

O monitoramento do SGE envolve a coleta de dados energéticos e o acompanhamento dos indicadores de desempenho estabelecidos. Esses dados podem ser obtidos através de medições diretas, como a instalação de medidores de energia em equipamentos ou áreas específicas da organização, ou através de estimativas baseadas em dados de consumo fornecidos pela concessionária de energia elétrica.

Uma vez que os dados energéticos são coletados, é importante analisá-los e compará-los com os objetivos e metas estabelecidos pelo SGE. Essa análise permite avaliar se a organização está atingindo seus objetivos energéticos e identificar oportunidades de melhoria. Caso sejam identificadas não conformidades ou desvios em relação aos objetivos, é necessário implementar ações corretivas para corrigir essas não conformidades e melhorar o desempenho energético.

Além disso, o monitoramento e a avaliação do SGE também envolvem a realização de auditorias internas e externas para avaliar a conformidade do sistema com os requisitos da norma NBR-ISO 50001. Essas auditorias podem ser conduzidas por profissionais internos ou por auditores externos certificados, e têm como objetivo verificar se o SGE está sendo implementado corretamente e se está alcançando os resultados esperados.

Através do monitoramento e da avaliação do SGE, a organização pode identificar oportunidades de melhoria e implementar ações para aumentar a eficiência energética e reduzir o consumo de energia. É importante que essas ações sejam revisadas e atualizadas regularmente, para garantir a melhoria contínua do SGE e a sustentabilidade dos resultados alcançados.

Referências:

Usamos cookies para melhorar a sua experiência e segurança em nosso website. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade.