Mercado Livre de Energia e a ANEEL

O Mercado Livre de Energia Elétrica, também bastante conhecido no setor elétrico como ACL (Ambiente de Contratação Livre), é um ambiente de contratação de energia onde um consumidor tem livre escolha de quem comprar a energia elétrica para a atender o seu consumo. A ANEEL é a agência reguladora do governo federal responsável pela regulação deste mercado.

MERCADO LIVRE DE ENERGIA

 

A ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica), possui estreita relação com o Mercado Livre de EnergiaACL ,que teve como origem a Lei nº 9.074 de 1995, viabilizando aos consumidores comprarem sua energia elétrica diretamente dos fornecedores, desde que respeitados os prazos de vigência e rescisão dos contratos vigentes de compra de energia com a concessionária à qual estava conectado.

A referida Lei dispôs que os consumidores com carga igual ou superior a 10.000 kW, atendidos em tensão igual ou superior a 69 KV, poderiam optar por contratar total ou parcialmente sua energia elétrica de outro fornecedor (Produtor Independente de energia elétrica).

Após três anos da publicação da Lei nº 9.074, os consumidores que atendessem os critérios acima, poderiam comprar sua energia elétrica de qualquer concessionário, permissionário ou autorizado geração do mesmo sistema interligado, aumentando ainda mais as opções de fornecedores de energia que o consumidor pudesse adquirir a sua energia elétrica no Mercado Livre de Energia.

Após cinco anos da publicação da Lei nº 9.074, o limite da carga  dos consumidores para a migração para o Mercado Livre de Energia seria reduzido, passando dos 10.000 kW para 3.000 kW, mantido o atendimento em tensão igual ou superior a 69 KV.

O Mercado Livre de Energia vem sendo aperfeiçoado e expandido ao longo do tempo, com sua abertura gradual, conforme figura a seguir.

LIMITES PARA MIGRAÇÃO PARA O MERCADO LIVRE DE ENERGIA

A ANEEL

Um passo importante para a evolução do setor elétrico brasileiro e o Mercado Livre de Energia foi a criação da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) instituída no mandato do Presidente Fernando Henrique Cardoso por meio da Lei nº 9.427, de 26 de dezembro de 1996, tendo por finalidade regular e fiscalizar a produção, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica, em conformidade com as políticas e diretrizes do governo federal.

No vídeo abaixo é possível entender um pouco sobre a ANEEL.

PRINCIPAIS ATRIBUIÇÕES DA ANEEL

A ANEEL é uma autarquia em regime especial vinculada ao Ministério de Minas e Energia (MME) e iniciou suas atividades em dezembro de 1997, tendo como principais atribuições:

  • Regular a geração, transmissão, distribuição e comercialização de energia elétrica no país;
  • Fiscalizar as concessões, permissões e os serviços de energia elétrica;
  • Discutir com a população e implementar as políticas e diretrizes do governo federal com relação à exploração da energia elétrica;
  • Dirimir divergências, na esfera administrativa, entre os agentes; e
  • Conceder outorgas de concessão, permissão e autorização de empreendimentos e serviços de energia elétrica.

MISSÃO, VISÃO E VALORES DA ANEEL

A agência reguladora tem a seguintes diretrizes, visando o equilíbrio, transparência e comprometimento com o interesse público.

MISSÃO

“Proporcionar condições favoráveis para que o mercado de energia elétrica se desenvolva com equilíbrio entre os agentes e em benefício da sociedade.”

VISÃO

“Ser essencial para assegurar a qualidade e a sustentabilidade do serviço de energia elétrica.”

VALORES

“A atuação dos servidores públicos da ANEEL é amplamente reconhecida e respeitada no setor elétrico brasileiro. Sua condução é pautada nos seguintes valores:

  • Autonomia
  • Compromisso com o interesse público
  • Diálogo
  • Efetividade
  • Equilíbrio
  • Ética
  • Imparcialidade
  • Isonomia
  • Previsibilidade
  • Simplicidade
  • Transparência”

COMPETÊNCIAS DA ANEEL

As principais competências da ANEEL estão listadas a seguir:

  • Diretoria
  • Assessoramento e Controle da Gestão
  • Regulação Econômica do Mercado e Estímulo à Competição
  • Relações com a Sociedade
  • Outorgas e Gestão dos Potenciais Hidráulicos
  • Fiscalização dos Serviços e Instalações de Energia Elétrica
  • Regulação Técnica e Padrões de Serviço
  • Planejamento e Gestão Administrativa

Apesar publicação da Lei nº 9.074, que abriu a possibilidade do consumidor que atendesse alguns requisitos pudesse passar a escolher o seu fornecedor no Mercado Livre de Energia, esse ambiente de contratação se tornou efetivo somente com a publicação de Resoluções da ANEEL, conforme a seguir.

 

RESOLUÇÃO ANEEL Nº 265/98

A Resolução ANEEL nº 265, de 13 de agosto de 1998, estabeleceu as disposições relativas ao exercício das atividades de comercialização de energia elétrica no Mercado Livre de Energia.

A referida resolução estabeleceu as condições para requerimento das autorizações para atividade de comercialização de energia a empresa constituída para exercer tal atividade no Mercado Livre de Energia. Neste caso, o requerente deveria comprovar, entre outros requisitos, regularidade fiscal e idoneidade econômico e financeira.

Dessa forma, a comercialização de energia elétrica no Mercado Livre de Energia poderia ser exercida pelos seguintes agentes:

  • Comercializadores de energia elétrica;
  • Importadores e exportadores de energia elétrica;
  • Produtores Independentes de energia elétrica;
  • Concessionários e permissionários de serviços públicos de distribuição de energia elétrica;
  • Geradores de energia elétrica.

Com a publicação da Resolução ANEEL nº 265, abriu-se um leque de opções de compra de energia para o consumidor que migrasse para o Mercado Livre de Energia, que foi fundamental para o fomento desse ambiente de contratação. Até então, os consumidores só podiam comprar energia elétrica de distribuidora local ao qual estava conectada, cujas tarifas não possuíam nenhum controle ou negociação.

 

RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL Nº 414/10

A Resolução Normativa ANEEL nº 414, de 9 de setembro de 2010, foi um marco para o setor elétrico no sentido buscar atualizar o consolidar as condições gerais de fornecimento de energia elétrica nas relações entre as Distribuidoras e os consumidores de energia.

Vários aspectos relacionados à migração para o Mercado Livre de Energia Elétrica foram definidos e padronizados para todas as Distribuidoras, deixando mais claro os direitos e deveres das concessionárias e os consumidores.

RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL Nº 470/11

A Resolução Normativa ANEEL nº 470, de 13 de dezembro de 2011, estabeleceu as disposições para às ouvidorias das concessionárias de serviço público de distribuição de energia elétrica, abrindo um canal de comunicação mais eficaz com os consumidores.

Foram estabelecidas em seu artigo 3º as seguintes atribuições às Ouvidorias das Distribuidoras:

“I – receber, registrar, instruir, analisar e dar tratamento adequado às manifestações relativas à prestação do serviço que não forem solucionadas pelos demais canais de atendimento disponibilizados pela distribuidora;

II – quando for o caso, encaminhar a manifestação apresentada à área competente, acompanhando sua apreciação;

III – prestar esclarecimentos necessários e dar ciência aos manifestantes, em caráter objetivo e não protelatório, acerca dos prazos e do andamento de suas demandas e das providências adotadas;

IV – fornecer resposta conclusiva às manifestações com a máxima brevidade possível, observado o prazo regulamentar, a qual deve ser escrita, sempre que solicitado;

V – observar as normas legais e regulamentares relativas aos direitos e deveres do consumidor, exercendo a função de representante dos direitos do consumidor junto à distribuidora; e

VI – responder às manifestações registradas e encaminhadas à distribuidora pela ANEEL e Agências Estaduais Conveniadas.”

RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL Nº 1.000/21

A Resolução Normativa ANEEL nº 1.000, de 7 de dezembro de 2021, é a normativa da agência reguladora que foi publicada visando atualizar e consolidar as regras da prestação do serviço público de distribuição de energia elétrica.

Essa Resolução foi importante para  detalhamento e evolução do disposto nas Resoluções Normativas ANEEL nº 414, de 9 de setembro de 2010 e nº 470, de 13 de dezembro de 2011, contribuindo dessa forma para o aperfeiçoamento e desenvolvimento do Mercado Livre de Energia.

O disposto na Resolução Normativa ANEEL nº 1.000 aplica-se à concessionária,  permissionária de serviço público de distribuição de energia elétrica e ao usuário, pessoa física ou pessoa jurídica, que utiliza do serviço público.

Na referida Resolução estão definidos os seguintes itens relacionados ao Mercado Livre de Energia:

  • As demandas mínimas para um consumidor ser enquadrar como Consumidor Livre;
  • Dispor sobre a comprovação da instituição da comunhão de cargas para o Consumidor Especial (comunhão de fato ou de direito);
  • Tratar do Contrato de Compra de Energia Regulada (CCER), definindo cláusulas gerais obrigatórias, estabelecimento de critérios para definição dos montantes de energia elétrica a ser contratado;
  • Procedimento para redução do montante de energia elétrica contratado por Consumidor Livre e Consumidor Especial com validade a partir da vigência seguinte;
  • Tratar do Consumidor Parcialmente Livre e definir critérios do CCER;
  • Estabelecer as condições para a migração do Consumidor Potencialmente Livre para o Mercado Livre de Energia quanto comunicação à sua Distribuidora, não prorrogação automática do CCER, adequação do medidor e adesão à Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE);
  • Dispor sobre o retorno do Consumidor Livre ao Ambiente de Contratação Regulada (ACR) quanto aos aspectos de formalização do pedido de retorno junto à concessionária, prazos, condições, eventuais acertos monetários e desligamento da CEEE conforme Convenção de Comercialização.

 

RESOLUÇÃO NORMATIVA ANEEL Nº 1.014/22

A ANEEL publicou a Resolução Normativa ANEEL nº 1.014, de 12 de abril de 2022, estabelecendo os requisitos e procedimentos relacionados à obtenção e manutenção de autorização para comercializar energia elétrica no Sistema Interligado Nacional (SIN).

Entre outros aspectos, uma mudança significativa implementada pela Resolução Normativa ANEEL nº 1.014 foi a distinção das Comercializadoras de Energia Elétrica em dois tipos:

  • Tipo 1: aquelas Comercializadoras que apresentem à CCEE patrimônio líquido de, no mínimo, R$ 10.000.000,00 (dez milhões de reais);
  • Tipo 2: aquelas Comercializadoras que ainda não atingiram R$ 10.000.000,00 (dez milhões de reais) de patrimônio líquido apresentado à CCEE.

Essa classificação determina alguns limites operativos dessas Comercializadoras de energia, dependendo do tipo aos quais se enquadram. O objetivo é diminuir os riscos ao ambiente de negociações. Essas alterações contarão com um período de transição e entrarão em vigor em maio de 2023.

Dessa forma, a ANEEL vem publicando legislação diversas, visando promover a evolução do setor e da comercialização de energia elétrica, buscando padronizar e dar mais segurança a todos os agentes do setor.

CONSULTORIA E GESTORA PARA O MERCADO LIVRE DE ENERGIA

É fundamental o Consumidor Livre contar com o apoio de uma consultoria/gestora com expertise regulatória visando o acompanhamento das alterações constantes na legislação, buscando identificar riscos e oportunidades para os seus clientes.

Compartilhe

Veja Também

Quem Pode Participar do Mercado Livre de Energia

Descubra quem pode participar do mercado livre de energia, um setor em crescimento que oferece oportunidades para consumidores comerciais e industriais. Saiba mais sobre os requisitos, benefícios e as etapas necessárias para aproveitar essa modalidade de contratação de energia elétrica. Mantenha-se informado sobre as possibilidades deste mercado em expansão.

Migração para o Mercado Livre de Energia

Descubra o processo de migração para o mercado livre de energia e os benefícios para sua empresa. Aprenda sobre as etapas necessárias para realizar a transição e entenda como otimizar o consumo, reduzir custos e ter mais controle sobre sua demanda energética. Aproveite essa oportunidade de tornar-se um consumidor livre de energia.

Mercado Livre de Energia em Portugal

O mercado livre de energia em Portugal: uma visão técnica e profissional sobre a expansão e regulamentação do setor. Descubra o funcionamento do mercado, os benefícios para consumidores e empresas, e os desafios enfrentados. Saiba como as mudanças no mercado estão moldando o futuro da energia em Portugal.

Mercado Livre de Energia na Espanha

O mercado livre de energia na Espanha oferece aos consumidores a oportunidade de escolherem seus fornecedores de eletricidade, promovendo a concorrência e a eficiência. Saiba mais sobre as vantagens desse sistema de negociação e como ele está transformando o setor energético espanhol.

Mercado Livre de Energia na França

Conheça o mercado livre de energia na França e seus principais aspectos técnicos. Saiba como funciona a negociação de contratos, regulação e os benefícios oferecidos aos consumidores. Descubra como participar dessa crescente tendência e aproveitar as vantagens do mercado livre de energia na França.
Usamos cookies para melhorar a sua experiência e segurança em nosso website. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade.