O Medidor de Energia no Mercado Livre de Energia

O medidor de energia é parte fundamental para qualquer mercado de energia. É através dele que toda a quantidade de energia que determinada empresa gera ou consome é determinada. Considerando as particularidades do mercado livre de energia, adaptações são necessárias nos medidores dos consumidores de energia.

ADESÃO DO CONSUMIDOR NA CCEE

Para o consumidor migrar para o Mercado Livre de Energia é necessária a sua adesão na Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), passando a integrar o seu quadro associativo. O candidato a agente da câmara deverá estar apto a cumprir a legislação vigente como as Regras de Comercialização e os Procedimentos de Comercialização.

Uma parte importante no processo de adesão de um consumidor na CCEE é a sua habilitação técnica, que permitirá a identificação do(s) seu(s)ponto(s) de medição, ou seja, de cada medidor de energia. Dessa, forma será possível obter o seu consumo que será utilizado no processamento da contabilização mensal da energia de curto prazo.

Nessa fase ocorrerá a solicitação e o mapeamento do(s) ponto(s) de medição do consumidor, com a emissão do Parecer de Localização. Nesta etapa ocorrerá também a abertura do processo de comunhão de cargas (comunhão de fato e de direito) e encaminhamento para a aprovação da CCEE.

No vídeo abaixo produzido pela CCEE é possível visualizar os principais aspectos do mapeamento do ponto de medição no SCDE.

Após o mapeamento do(s) ponto(s) do Consumidor candidato a agente da CCEE, é necessário realizar a solicitação, o cadastro e a aprovação do(s) ponto(s) de medição.

Em paralelo aos processos de mapeamento e cadastro do(s) ponto(s) de medição ocorre a Solicitação de Modelagem de Ativos (SMA), onde será modelado o Consumidor Livre como uma carga na CCEE e viabilizará a sua contabilização mensal do mercado de curto prazo.

 

ADEQUAÇÃO DO MEDIDOR DE ENERGIA PARA MIGRAR PARA O MERCADO LIVRE DE ENERGIA

Por fim,  será necessária a adequação do sistema de medição de energia do consumidor para que a CCEE possa ter acesso aos seus dados de consumo, que até então somente a Distribuidora local possuía. Essa adaptação é conhecida no setor elétrico como adequação ou configuração do SMF (Sistema de Medição para Faturamento).

SMF é o nome técnico dado ao medidor de energia, já que estes são utilizados para medir a quantidade de energia gerada ou consumida pelas empresas, que resulta em faturamentos referentes à venda e compra de energia respectivamente.

No processo de migração para o Mercado Livre de Energia a adequação do medidor de energia é uma etapa fundamental e deve ser realizar pelo consumidor em conjunto com a sua Distribuidora. A adequação da parte física da cabine é de responsabilidade do consumidor e a parte de troca ou ajuste do medidor de energia e a questão da comunicação (envio dos dados de consumo) é de responsabilidade da Distribuidora.

Dependendo do modelo do medidor de energia, será necessária a sua troca ou somente uma alteração em sua configuração para que ele esteja apto para a coleta e disponibilização dos dados de medição (consumo) do Consumidor Livre para a CCEE.

Para verificar quais as alterações serão necessárias para o correto funcionamento do medidor de energia, deverá ser realizado um estudo das instalações da subestação, com o envio de documentos técnicos como o diagrama unifilar.

COMPONENTES DO MEDIDOR DE ENERGIA

O sistema de medição é composto de vários componentes, entre eles: Transformadores de Corrente – TC, Transformadores de Potencial – TP, Transformadores de Instrumentos – TI, sistema de comunicação, o medidor de energia propriamente dito, entre outros.

PROCEDIMENTOS PARA ADEQUAÇÃO DO MEDIDOR DE ENERGIA

Importante ressaltar que cada Concessionária possui um procedimento próprio para realizar essa adequação do medidor de energia (ou SMF). Por exemplo: algumas agendam uma data específica para o consumidor fazer a adequação da parte física e eles fazerem a parte do medidor de energia e configurar a comunicação tudo no mesmo dia. Outras solicitam que o consumidor faça primeiro a adequação de sua responsabilidade, encaminhe fotos e depois eles fazem a visita para realizar a parte deles (instalação, comissionamento e testes).

SCDE

Uma vez adequado e configurado o medidor de energia, é possível a sua conexão com o Sistema de Coleta de Dados de Energia (SCDE) da CCEE.

O SCDE é o responsável pela coleta dos dados de medição (consumo) dos Consumidores Livres. Essa coleta é realizada diariamente até às 10h da manhã por ponto de medição (mapeado e cadastrado na etapa de habilitação técnica da adesão do agente na CCEE). Os dados de medição são coletados a cada 5 minutos e integralizados por período de comercialização (atualmente 1 hora).

Para o Consumidor Livre, os principais dados coletados são as energias “Ativa C (kWh)” e “Reativa C (kVArh)”.

COMUNICAÇÃO ENTRE O MEDIDOR DE ENERGIA E O SCDE

É reponsabilidade da Distribuidora, agente de medição no caso do Consumidor Livre, de manter a disponibilidade, estabilidade e a confiabilidade da comunicação do medidor de energia com o SCDE. Dessa forma, a VPN (Virtual Private Network) estabelecida entre a Concessionária e a CCEE deve estar em pleno funcionamento.

A comunicação entre o o medidor de energia (ou SMF) e o sistema de coleta da dados (SCDE) é importante porque além de garantir a obtenção dos dados de medição, possibilita também a realização de inspeções lógicas de cada medidor de energia de modo a verificar a disponibilidade e qualidade da comunicação e a integridade dos dados de medição.

COLETA DOS DADOS DE MEDIÇÃO

A coleta dos dados de medição pode ser realizada de duas formas:

  • Coleta ativa: onde o SCDE acessa diretamente a memória da massa de cada medidor de energia para a coleta do consumo;
  • Coleta passiva: os dados de medição são enviados pelo agente de medição para o SCDE por meio de arquivo do tipo XML.

Caso queira saber mais sobre a coleta no SCDE, veja o vídeo a seguir.

Dessa forma, o consumidor ao migrar para o Mercado Livre de Energia passa a ter acesso ao seu consumo em base horária e pode acompanhar diariamente a sua evolução ao longo do mês. Muitos Consumidores Livres utilizam os dados horários de consumo para realizar uma análise detalhada do seu perfil de consumo durante as horas do dia, sendo possível verificar o nível de consumo em horário produtivo e não produtivo e buscar oportunidades de melhorias e otimizações e identificar eventuais desperdícios de energia.

O consumidor quando está no mercado cativo tem conhecimento apenas do seu consumo mensal dividido em período de Ponta e Fora de Ponta e somente vários dias após o término do mês, quando recebe a conta de energia da sua Distribuidora. Quando ele migra para o Mercado Livre de Energia, além de ter acesso aos seus dados de consumo com muito mais detalhes e agilidade, é possível também validar o montante de consumo associado a Tarifa do Uso do Sistema de Distribuição – TUSD que está sendo cobrado na conta de energia de sua Concessionária.

Uma vez os dados de medição sendo coletados pelo SCDE, os mesmos passam por duas etapas para ficarem prontos para serem utilizados na contabilização mensal da energia de curto prazo dos agentes e outras apurações. Dessa forma, o processamento da Medição na CCEE é dividido em dois módulos: Medição Física e Medição Contábil.

MEDIÇÃO FÍSICA

O objetivo deste módulo é identificar a quantidade de energia gerada e consumida de todos os agentes da CCEE. No caso dos Consumidores Livres e Consumidores Especiais o resultado do processamento da Medição Física é o seu consumo.

Nesta etapa ocorre a integralização horária dos dados de consumo existentes no SCDE e a separação das energias que participam ou não do rateio de perdas da Rede Básica, tudo seguindo a topologia dos pontos de medição mapeados e cadastrados para cada agente.

Na medição física os dados de consumo são convertidos de kWh para MWh para ficar compatível com os cálculos realizados nas demais etapas da Contabilização da CCEE.

RELATÓRIOS DE MEDIÇÃO FÍSICA NA CCEE

Após o processamento deste módulo, os resultados são divulgados pela CCEE por meio dos seguintes relatórios:

  • MEDTPOL001 – Tratamento da Topologia: medições integralizadas, medições ajustadas e medições ajustadas final do(s) ponto(s) de medição do agente e mês selecionado;
  • MEDTPOL002 – Comparativo da Topologia: comparativo da topologia do(s) ponto(s) de medição do agente do mês selecionado em relação ao mês anterior;
  • MEDTPOL003 – Composição da Topologia: informações da topologia do(s) ponto(s) de medição do agente no mês selecionado.   

MEDIÇÃO CONTÁBIL

Neste módulo das Regras de Comercialização da CCEE ocorre a agregação dos dados dos medidores para cada ativo (unidade consumidora ou unidade geradora). Esta Regra de Comercialização possui o nome de Medição Contábil porque prepara os dados de geração e consumo dos ativos para a contabilização mensal da energia de curto prazo dos agentes.

Na medição contábil é apurado também as perdas da Rede Básica. Essas perdas são rateadas 50% para a geração e 50% para o consumo. Assim, desconta-se da geração a metade das perdas da Rede Básica e soma-se no consumo a outra metade das perdas.

Nem todos os ativos participam do rateio das perdas, depende de como está a sua modelagem e topologia na CCEE.

PERDAS

As parcelas de consumo e geração após a aplicação das perdas são chamadas de consumo ajustado e geração ajustada. Dessa forma, o total de geração ajustada se iguala ao total do consumo ajustado, uma vez que as perdas foram rateadas pela metade e esse ponto virtual de equilíbrio entre a geração e o consumo com perdas é chamado de Centro de Gravidade.

Então, quando cita-se que o consumo ou a geração está ajustado ou no Centro de Gravidade significa que essas parcelas já consideram as perdas da Rede Básica.

RELATÓRIOS DE MEDIÇÃO CONTÁBIL NA CCEE

Da mesma forma que ocorre com a Medição Física, após o processamento do módulo de Medição Contábil, os resultados são divulgados pela CCEE por meio dos principais relatórios a seguir:

  • MED003 – Medição da Geração e Consumo: medições brutas e ajustadas (com perdas), informações das perdas de geração e consumo;
  • MED004 – Medição Geral da Geração x Consumo – medições gerais do sistema como geração total e consumo total, consolidados por semana e submercado.

CONSULTORIA E GESTORA PARA O MERCADO LIVRE DE ENERGIA

Devido à complexidade dos trâmites e dos cálculos é importante que o Consumidor Livre tenha a tranquilidade que a consultoria que realizará a sua gestão no Mercado Livre de Energia seja competente e transparente e que possam criar uma relação de parceria e credibilidade.

Compartilhe

Veja Também

Quem Pode Participar do Mercado Livre de Energia

Descubra quem pode participar do mercado livre de energia, um setor em crescimento que oferece oportunidades para consumidores comerciais e industriais. Saiba mais sobre os requisitos, benefícios e as etapas necessárias para aproveitar essa modalidade de contratação de energia elétrica. Mantenha-se informado sobre as possibilidades deste mercado em expansão.

Migração para o Mercado Livre de Energia

Descubra o processo de migração para o mercado livre de energia e os benefícios para sua empresa. Aprenda sobre as etapas necessárias para realizar a transição e entenda como otimizar o consumo, reduzir custos e ter mais controle sobre sua demanda energética. Aproveite essa oportunidade de tornar-se um consumidor livre de energia.

Mercado Livre de Energia em Portugal

O mercado livre de energia em Portugal: uma visão técnica e profissional sobre a expansão e regulamentação do setor. Descubra o funcionamento do mercado, os benefícios para consumidores e empresas, e os desafios enfrentados. Saiba como as mudanças no mercado estão moldando o futuro da energia em Portugal.

Mercado Livre de Energia na Espanha

O mercado livre de energia na Espanha oferece aos consumidores a oportunidade de escolherem seus fornecedores de eletricidade, promovendo a concorrência e a eficiência. Saiba mais sobre as vantagens desse sistema de negociação e como ele está transformando o setor energético espanhol.

Mercado Livre de Energia na França

Conheça o mercado livre de energia na França e seus principais aspectos técnicos. Saiba como funciona a negociação de contratos, regulação e os benefícios oferecidos aos consumidores. Descubra como participar dessa crescente tendência e aproveitar as vantagens do mercado livre de energia na França.
Usamos cookies para melhorar a sua experiência e segurança em nosso website. Ao continuar navegando você concorda com a nossa Política de Privacidade.